sexta-feira, 8 de abril de 2016

quem realmente ensina, de fato não quer ensinar. apenas transborda.




em essência, apenas nós que podemos nos permitir aprender e/ou des aprender. 

e quem realmente ensina, de fato não quer ensinar. apenas transborda.

sábado, 19 de março de 2016

Escriturar a terra



peixes asfixiados tombam no leito lodoso
veias necrosadas ardendo

comércio cínico
declínio químico

funcionários disfuncionais
do extermínio legítimo

executivos execráveis excretados

da mente brutal

Escriturar a terra
com cicatrizes pútridas

Patentear o ar 
com assinaturas sulfúricas

o engano, o engodo, a gana de grana

maquinário matricida 
desviscerando a matéria

estuprando
a mãe terra


domingo, 25 de outubro de 2015

poema - Ilusão



a ilusão

 – quanto mais grandiosa
    mais teme a vastidão

   quanto mais grita que liberta
   em silêncio, encarcera
 
   quanto mais se agita
   mais teme a movimentação

   quanto mais se ama
   mais ódio emana

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

poema , do livro "Infiltrações"




pegar no ar um tremor,

algo insólito que magnetize uma palavra já gasta.



sintonizar-se

com o sinônimo numinoso

das aparências desgastadas



recuperar as estranhas flores

que medravam nas brechas da mente



descortinar possibilidades

escavar sonhos



extravasar os limites da cidade




Inaugurar o improvável





descascar as aparências

viajar longe

e des cobrir

o que sempre esteve aqui




*





as possibilidades não mencionadas

as vias do Arrepio





esta é a jornada.